MINISTRO EXTRAORDINÁRIO DA COMUNHÃO EUCARÍSTICA

O Ministro Extraordinário da Comunhão Eucarística – MECE é, na Igreja Católica, um leigo a quem é dada permissão, de forma temporária ou permanente, de distribuir a comunhão aos fiéis, na missa ou em outras circunstâncias, quando não há um ministro ordenado (bispo, presbítero ou diácono) que o possa fazer.
Chamam-se extraordinários porque não exercem um ministério ordenado.

HISTÓRIA:
Os ministros extraordinários da comunhão surgiram na Igreja Católica após o Concílio Vaticano II, como resposta à escassez de ministros ordenados, e à necessidade de pessoas que pudessem auxiliar os ministros ordenados na distribuição da comunhão em diversas circunstâncias. A introdução de ministros leigos que pudessem auxiliar na ausência de outros ministros ordenados teve como finalidade trazer mais eficácia e dignidade à distribuição da Eucaristia.

PARA TORNAR-SE MINISTRO:
Os ministros extraordinários da comunhão devem ser escolhidos entre a comunidade  respectiva e devem ser pessoas idóneas e com boa prática cristã. Na maior parte das dioceses, os candidatos, antes de assumirem as suas funções, recebem uma formação litúrgica e doutrinal que lhes permita exercer a sua função com a máxima dignidade e decoro.

COMPETÊNCIA DO MCE:
•    Distribuição da comunhão na missa;
•    Administração do viático (para doentes em estado grave de saúde);
•    Exéquias (celebração pelos falecidos nos funeráis);
•    Exposição do Santíssimo Sacramento para a adoração dos fiéis (mas não a bênção com o mesmo);
•    Celebração da palavra e distribuição da comunhão quando não houver a possibilidade de uma Celebração Eucaristica (Santa Missa);
•    Compete também ao Ministro Extraordinário da Comunhão Eucarística, zelar pelo bom andamento da liturgia, bem como, da conservação dos objetos litúrgicos.
Na Diocese de Nova Friburgo os MECEs são investidos pelo Bispo para desempenhar a função em suas paróquias e/ou capelas.
Em nossa paróquia os MECEs servem também nas Santas Missas, semanais e dominicais e auxiliam o Pároco, quando da sua ausência, celebrando a palavra na Matriz e na Capela de Nossa Senhora da Penha (Lyra).

Assim são chamadas as pessoas que são convidadas e  preparadas através de cursos para ajudar os sacerdotes. A função dos ministros é principalmente a de levar a Eucaristia aos enfermos e as pessoas que não tem condições de participar das celebrações da Santa Missa nas Paróquias. Também ajudam o sacerdote a distribuir a Sagrada Comunhão nas missas em que haja grande número de fiéis.

A missão dos ministros da eucaristia deve ser:
•    Participação constante nas celebrações de toda comunidade;
•    Vida Eucarística na Igreja e na vida social;
•    União com Cristo pela palavra, leitura e reflexão da palavra de Deus.

Também é função do ministro da Eucaristia cuidar dos objetos sagrados como o sacrário, a âmbula, o altar, o cálice. É preciso cuidar para que esteja perfeito e bem cuidado. Tudo com muito carinho, amor e respeito. O ministro deve se preocupar em sempre usar trajes dignos de sua missão, de fazer uma breve adoração ao chegar ao altar, fazer genuflexão ao abrir e fechar o sacrário. Os ministros da Comunhão Eucarística devem colocar seu ministério acima de tudo, isto implica disponibilidade e presteza. Deve saber que ao transportar a Eucaristia para as pessoas enfermas deve lembrar que neste momento ele se transforma em um sacrário vivo. Por isso deverá fazê-lo respeitosamente e durante o trajeto procurar fazer orações e estar sempre em adoração.

O padroeiro dos ministros da Comunhão Eucarística é São Tarcísio. Sua figura e história tão comovente desperta em nós o devoto acolhimento do augusto mistério do Cristo presente entre nós na Eucaristia.

Serviço do Altar, celebrações e comunhões em residências para enfermos.